3.
Fins

Se decidir investir na Reabilitação de uma casa antiga é muito importante contar com o Acompanhamento Técnico especializado. Porquê?

Porque vai garantir a melhor resposta possível ao problema e às suas necessidades concretas e optimizar a aplicação dos recursos existentes.
Só os arquitectos e os engenheiros asseguram que a visão geral do projecto e a legislação em vigor serão cumpridas, o orçamento disponível será optimizado e respeitado, garantindo uma boa execução da obra.

3.1 O Projecto

O que é um projecto de Reabilitação?
Significa um levantamento e uma planificação rigorosos para garantir a implementação da melhor solução reflectida, pensada e discutida entre os técnicos e quem vai habitar o espaço.
Não há milagres. Só o cruzamento do conhecimento e da experiência dos técnicos com a vontade do futuro habitante, garante um bom resultado final. Como?

O que é um projecto de Reabilitação?
Significa um levantamento e uma planificação rigorosos para garantir a implementação da melhor solução reflectida, pensada e discutida entre os técnicos e quem vai habitar o espaço.
Não há milagres. Só o cruzamento do conhecimento e da experiência dos técnicos com a vontade do futuro habitante, garante um bom resultado final. Como?

O projecto deverá ficar rigorosamente registado através de desenhos técnicos, mapas de acabamentos, medições e caderno de encargos. Com estes documentos poderá solicitar orçamentos detalhados e compará-los por forma a escolher o construtor que irá implementar o seu projecto.

Como licenciar uma obra de Reabilitação?

Licenciar uma obra de Reabilitação é dar conhecimento a uma instituição pública, normalmente às Câmaras Municipais, sobre o tipo de intervenção que vai ocorrer num dado edifício ou fracção, se é de ordem estrutural - porque pode por em perigo o edifício e ou se altera o exterior - porque afecta o domínio público, por forma a produzir um registo gráfico com informação técnica, cumprindo a legislação em vigor.
Há algumas obras isentas de licenciamento, mas isso não significa que não necessitem de Acompanhamento Técnico especializado. Porquê?

De acordo com o Regime Jurídico da Urbanização e da Edificação, Decreto-Lei nº. 555/99, de 16 de Dezembro, na redacção actual existem algumas obras que não exigem controlo prévio, através de licenciamento camarário, de acordo com o número 1, do Artigo 6º, a saber:
- Obras de conservação;
- Obras de alteração no interior de edifícios não classificados ou fracções que não impliquem modificações na estrutura de estabilidade, das cérceas, da forma das fachadas e da forma dos telhados ou coberturas.

O Aconselhamento Técnico é uma mais valia óbvia, pois assegura a melhor forma de levar a cabo a obra que pretende porque: oferece segurança técnica, contorna os imprevistos e garante uma boa gestão dos recursos disponíveis.

Links úteis:
Lisboa Interactiva – Plantas Online
Informação Prévia/Licenciamento-IGESPAR
Licenciamento/Isenções-CML


Ver mais

3.2 A Obra

Como planificar uma obra de Reabilitação?

A planificação de uma obra tem início depois do proprietário explicar ao arquitecto o que pretende. A partir deste momento começa uma conversa que durará até ao fim do processo.

Como planificar uma obra de Reabilitação?

A planificação de uma obra tem início depois do proprietário explicar ao arquitecto o que pretende.
A partir deste momento começa uma conversa que durará até ao fim do processo.

Como deve implementar uma obra de Reabilitação?

Para levar a bom porto uma obra de Reabilitação, a escolha do construtor deve ser criteriosa, aproveitando referências credíveis, de amigos, sites, revistas e jornais da especialidade.
Depois do projecto e do caderno de encargos fechados deve ser lançado um concurso de empreitada onde será escolhido o construtor responsável pela execução da obra, respeitando os critérios previamente estipulados.

Links úteis:
Instituto da Construção e do Imobiliário-INCI


Ver mais

3.3 Habitar o Centro Histórico

Acreditamos que pequenos gestos podem contribuir, complementarmente aos grandes projectos, para a reabilitação da cidade de Lisboa.
Os cidadãos têm um papel importante neste processo através do contributo com pequenos e médios investimentos na reabilitação de casas antigas. Em tempo de crise económica estas pequenas obras tornam-se vitais para a regeneração da cidade

Acreditamos que pequenos gestos podem contribuir, complementarmente aos grandes projectos, para a reabilitação da cidade de Lisboa.
Os cidadãos têm um papel importante neste processo através do contributo com pequenos e médios investimentos na reabilitação de casas antigas. Em tempo de crise económica estas pequenas obras tornam-se vitais para a regeneração da cidade.

Quais as mais valias de viver no centro da cidade?

Viver no centro histórico representa qualidade de vida pelo contexto arquitectónico, urbano e paisagístico envolvente, pelas diversas respostas de proximidade e pelo usufruto de um ritmo de vida plural e cosmopolita.

Viver num imóvel reabilitado com os critérios defendidos pela AGULHA NUM PALHEIRO permite desfrutar de um espaço qualificado, pensado, valorizado e com valor transacionável.
Qualquer semelhança entre seguir o processo descrito e apenas fazer uma obra é pura coincidência.
Regressar ao centro da cidade para viver e trabalhar representa uma opção efectiva, sustentável e alternativa ao êxodo para a periferia, porque oferece a garantia de proporcionalidade entre a redução de custos nas deslocações de acesso ao trabalho e a serviços essenciais às rotinas diárias e a convivência com uma cultura urbana rica, que suporta equipamentos culturais e de lazer e uma oferta comercial diversa e especializada.


Ver mais